Como resultados são gerados automaticamente
Com a grande quantidade de informações disponíveis, encontrar o que você precisa seria quase impossível sem uma ajudinha. Os sistemas de classificação do Google são projetados para fazer exatamente isso: organizar centenas de bilhões de páginas da Web e outros tipos de conteúdo no índice da Busca e oferecer os resultados mais relevantes e úteis em uma fração de segundo.
Barra de Busca com a consulta "salão de beleza perto de mim"
Fatores importantes nos resultados
Para oferecer as informações mais úteis, os algoritmos da Busca examinam vários fatores e sinais, como as palavras da consulta, a relevância e usabilidade das páginas, a especialidade das fontes e a localização e configurações do usuário. O peso de cada fator depende da natureza do que foi pesquisado. Por exemplo, a data de publicação do conteúdo é mais importante em consultas sobre notícias recentes do que em definições do dicionário.
Saiba mais sobre os fatores mais importantes para determinar quais resultados são exibidos na consulta:
Significado da consulta

Para exibir resultados relevantes, precisamos entender o que você está procurando, ou seja, o objetivo da consulta. Para isso, criamos modelos de linguagem para tentar decifrar como as poucas palavras digitadas na caixa de pesquisa podem corresponder ao conteúdo mais útil disponível.

Isso envolve etapas que parecem simples, como o reconhecimento e a correção de erros de digitação, estendendo-se ao nosso sofisticado sistema de sinônimos, que permite encontrar documentos relevantes mesmo quando não eles contêm as palavras exatas usadas. Por exemplo, você pode ter pesquisado "mudar o brilho do laptop", mas o fabricante escreveu "ajustar o brilho do laptop". Nossos sistemas entendem que as palavras e a intenção são relacionadas, exibindo o conteúdo adequado a você. Esse sistema levou mais de cinco anos para ser desenvolvido e melhora significativamente os resultados em mais de 30% das pesquisas em vários idiomas.

Uma consulta com

Nossos sistemas também tentam entender o tipo de informação que você está procurando. Se você usou palavras como "cozinha" ou "imagens", nossos sistemas entendem que exibir receitas ou imagens pode ser a melhor correspondência para sua busca. Se você pesquisa em francês, a maioria dos resultados exibidos será nesse idioma. Os sistemas também podem reconhecer que muitas consultas têm intenções locais – por isso, quando você pesquisa "pizza", os resultados exibem pizzarias por perto.

Se você pesquisar palavras-chave populares, nossos sistemas entenderão que informações atualizadas podem ser mais úteis do que páginas antigas. Isso significa que quando você procura o placar de algum jogo, o lucro de alguma empresa ou outras informações relacionadas, você verá as notícias mais recentes.

Relevância do conteúdo

Em seguida, nossos sistemas analisam o conteúdo para avaliar as informações são relevantes para o que você está procurando.

O sinal mais básico de que as informações são relevantes é quando o conteúdo tem as mesmas palavras-chave da consulta. Por exemplo, no caso de páginas da Web, se as palavras-chave aparecem na página ou se aparecem no cabeçalho ou corpo de texto, as informações podem ser mais relevantes.

Um site sendo inspecionado com uma lupa

Além de avaliar palavras-chave, nossos sistemas também analisam a relevância do conteúdo para a consulta de outras maneiras. Usamos dados de interações agregados e anonimizados para avaliar se os resultados da pesquisa são relevantes para consultas, transformando-os em sinais que ajudam os sistemas de aprendizado de máquina a estimar melhor a relevância. Quando você pesquisa "cachorros", por exemplo, provavelmente não quer uma página com a palavra "cachorros" centenas de vezes. Os algoritmos avaliam se o resultado tem outro tipo de conteúdo relevante além da palavra "cachorros", como imagens de cães, vídeos ou até uma lista de raças.

É importante observar que, por mais que nossos sistemas não usem esse tipo de sinal quantificável para avaliar a relevância, eles não são projetados para analisar conceitos subjetivos como o ponto de vista ou a inclinação política de uma página.

Qualidade do conteúdo

Após identificar conteúdo relevante, o objetivo dos nossos sistemas é priorizar aquilo que parece mais útil. Para isso, eles identificam sinais que podem ajudar a determinar tipos de conteúdo que demonstrem especialidade, autoridade e confiabilidade.

Por exemplo, um dos vários fatores que usamos para ajudar a determinar isso é verificar se outros sites importantes têm links ou referências ao conteúdo. Isso já provou várias vezes ser um bom sinal de que as informações são confiáveis. Usamos feedbacks agregados do nosso processo de avaliação de qualidade da Pesquisa para refinar ainda mais como nossos sistemas classificam a qualidade das informações.

Um site sendo analisado por um algoritmo

Os tipos de conteúdo disponíveis na Web e o ecossistema de informações está em constante mudança, e nós estamos sempre medindo e avaliando a qualidade dos nossos sistemas para garantir que alcancemos o equilíbrio ideal entre relevância de informações e autoridade para que você possa confiar nos resultados encontrados.
Usabilidade das páginas da Web

Nossos sistemas também consideram a usabilidade do conteúdo. Quando todos os resultados são muito parecidos, um conteúdo mais acessível pode ter um melhor desempenho.

Por exemplo, nossos sistemas podem avaliar os aspectos de experiência na página, como a exibição do conteúdo em dispositivos móveis. Da mesma forma, avaliam se o conteúdo é carregado com rapidez, o que também é importante para usuários desse tipo de dispositivo.

Contexto e configurações

Informações como sua localização, histórico de pesquisas anteriores e configurações da Busca nos ajudam a garantir que os resultados sejam mais relevantes e úteis para você.

Usamos seu país e a localização para exibir conteúdo relevante para sua área. Por exemplo, se você está em São Paulo e pesquisa "futebol", o Google provavelmente mostrará resultados sobre o Corinthians ou o Palmeiras. Já se você pesquisar "futebol" em Chicago, o Google mostrará resultados sobre futebol americano. As configurações da Busca também são um indicador importante dos resultados que provavelmente serão úteis, como o idioma preferido ou se o SafeSearch (uma ferramenta que ajuda a ocultar resultados explícitos) está ativado ou não.

Em algumas situações, também podemos usar sua atividade recente na Busca para exibir resultados mais relevantes. Por exemplo, se você pesquisar "São Paulo" e tiver procurado por "São Paulo e Palmeiras" recentemente, talvez seja uma evidência importante de que você quer informações sobre o time de futebol, não a cidade.

Dois sites exibindo uma bola de futebol e uma bola de futebol americano

A Busca também inclui alguns recursos que personalizam os resultados com base na atividade da sua Conta do Google. Por exemplo, se você pesquisar "eventos por perto", o Google poderá personalizar algumas recomendações com categorias de eventos que podem ser do seu interesse.

Esses sistemas são projetados para monitorar seus interesses, mas não inferir características confidenciais, como sua etnia, religião ou inclinação política.

Você pode controlar as atividades da Pesquisa que são usadas para melhorar sua experiência, como ajustar quais dados são salvos na sua Conta do Google, em myaccount.google.com. Para desativar a personalização da Pesquisa com base na atividade da sua conta, desative a Atividade na Web e de apps.

Você também pode encontrar preferências de conteúdo como o SafeSearch nas configurações. Esses ajustes ajudam você a escolher se os resultados incluirão conteúdos gráficos que podem chocar alguns usuários.